Empreendedora Superou a Depressão e Criou Negócio de R$ 1,2 Bilhão

Você compartilha o bem?

Empreendedora Superou a Depressão e Criou Negócio de R$ 1,2 Bilhão

 

Annie Lawless, da Suja, decidiu fazer o que gostava e dá dicas para alcançar a felicidade

 

Há cinco anos, a americana Annie Lawless, de 28 anos, não tinha vontade nem de levantar da cama.

Na época, ela estava na faculdade de direito e não se sentia feliz. Acreditava que ser advogada não era o que queria para o resto da vida.

A insatisfação a levou à depressão.

 

Empreendedora Superou a Depressão e Criou Negócio de R$ 1,2 Bilhão (vídeo em inglês)

Empreendedora Superou a Depressão

A doença fez Annie perceber que algo deveria mudar em sua vida. E essa mudança era diretamente relacionada à busca de uma carreira mais prazerosa. Foi o que ela fez.
Desde que nasceu, Annie é celíaca. Não pode ingerir nenhum alimento com glúten. Por isso, teve de aprender tudo sobre comida e fez dos sucos a base da sua dieta.
Quando estava mal, Annie descobriu que um amigo, Eric Ethans, tinha a mesma paixão. Juntos, em 2011, os dois decidiram abrir o próprio negócio.

A empresa cresceu rapidamente e os dois não davam mais conta de preparar os sucos. Surgiu então o medo de que a falta de experiência na gestão de negócios quebrasse a empresa.

Foi aí que James Brennan e Jeff Church, ambos com mais conhecimento em administração, juntaram-se à dupla. Nascia a Suja Juices.

Em setembro de 2012, os sucos da Suja começaram a ser vendidos na Whole Foods, um dos grandes varejistas americanos.

Após isso, a receita da empresa disparou. Hoje, estimativas do mercado apontam que o faturamento da Suja é de US$ 90 milhões (R$ 360 milhões).

O valor de mercado da empresa já bate nos US$ 300 milhões (R$ 1,2 bilhão).

 

Sucos da Suja (Foto: Divulgação)

A mudança de área e a criação de um negócio baseado em uma paixão fizeram com que Annie se recuperasse da depressão.

Em reportagem publicada pela revista “Inc.”, a empreendedora deu dicas para você ser mais feliz.

Confira todas as dicas dela aqui:

Empreendedora Superou a Depressão: Como Ser Mais Feliz

1. Escolha a paixão

Annie entrou na faculdade de direito por pressão da família, que tem vários advogados bem-sucedidos.

Ela tinha medo de desapontar aqueles que amava. No entanto, acabou se prejudicando por isso.

A depressão poderia ter sido evitada, segundo a americana, se ela tivesse tido coragem de seguir sua paixão e conversasse francamente com sua família sobre isso.

É uma decisão difícil. É compreensível ter medo de falhar ou não ter como pagar as contas. Mas acredito que somos bons no que amamos e temos boas chances de prosperar se seguirmos nossas paixões, afirma.

Curso Grátis de E-mail Marketing Digital!

 

Academia Portal Dr | CoMental

2. Seu corpo é um alarme

Annie diz que o corpo humano funciona como um alarme: ele dá sinais, com antecedência, sobre o que pode acontecer de ruim com a sua saúde no futuro.

Ombros muito tensos e dores insistentes são muito comuns, mas às vezes podem significar que alguém está à beira da estafa e até de surtos depressivos.

Por isso, interprete dores como um alerta. Veja se algo pode ser feito para evitar grandes problemas.

 

3. Um passo de cada vez

A empreendedora não priorizava o dinheiro ao criar a Suja. Ela só queria fazer o que amava. E, dando um passo de cada vez, foi conquistando seus objetivos.

Se você está criando coragem para empreender, faça isso devagar. Primeiro, crie seu site, por exemplo. Marque um café despretensioso com um mentor. Qualquer que seja o pequeno passo, assegure-se de completá-lo. Do contrário, suas grandes metas nunca serão cumpridas.

4. Deixe a vida te levar

Para Annie, é bom, segundo suas palavras, render-se ao universo. Ela quer dizer que, em vez de querer controlar tudo, o ideal é “deixar a vida te levar”.

Quem controla tudo não tem o acaso como um amigo. Não planeje tudo. Ao deixar de escolher o lugar de um simples almoço, você pode acabar conhecendo pessoas essenciais para sua vida ou seu negócio em outro lugar. O acaso é poderoso, diz ela.

Autor: PEGN.

Deixe uma resposta